AgroValor Publicidade
Agropecuária

A ideia do aproveitamento de dejetos de gado leiteiro e a economia de energia uniram a Embrapa, agricultores familiares e a Emater em dia de campo. Durante a visita, realizada na Granja Leiteira Sol Dourado, localizada no município de Anápolis/GO, todos conheceram o biodigestor. O objetivo é mostrar a tecnologia já em funcionamento e para isso os produtores foram levados a Granja Leiteira Sol Dourado. Lá os dejetos bovinos são inseridos em biodigestores que geram biogás, utilizado para produção de energia e adubo.

Participaram produtores rurais do Projeto de Assentamento Manacá. Neste local são 88 propriedades, e destas, em torno de 45 trabalham com a produção de leite. De acordo com Willian Barbosa, responsável pelo escritório da Emater/DF de Cristalina, cada propriedade produz em média de 100 litros/dia e ao todo é uma produção de 4.500 litros.

Willian conta que um dos grandes problemas dos produtores é a falta de energia elétrica. A companhia energética estadual não consegue atender a demanda e este é um dos motivos deste trabalho estar sendo desenvolvido com a Embrapa Agroenergia. "A ideia é que estes produtores tenham conhecimento sobre o que são os biodigestores e conhecerem esta produção de energia para iniciar um debate. Posteriormente esta tecnologia pode ser implementada em suas propriedades para suprir o déficit energético da região" explica o funcionário.

Sílvia Belém, pesquisadora da Embrapa Agroenergia, afirma que além da economia energética há também a questão ambiental envolvida. "O esterco bovino no campo vai produzir o gás metano que será jogado na atmosfera e amplia o efeito estufa. A partir do momento que você coloca o esterco no biodigestor o metano vai ser canalizado, queimado e vai ser aproveitado o poder calorífico dele".

A pesquisadora também participou da visita e a avaliou como muito proveitosa para os produtores. De acordo com ela, além da produção do biogás, os participantes tiveram a chance de ver a fazenda como um todo e se interessaram também pela produção de laticínios.

"Alguns dos produtores já estão sondando com a gente (Emater) como que eles podem iniciar os trabalhos com pequenos biodigestores", revela Willian. Esses pequenos biodigestores seriam capazes de substituir o gás de cozinha e em grande escala essa energia ou biogás poderiam ser até vendidos, gerando uma renda extra.

A Granja Leiteira Sol Dourado, têm 250 hectares e produz cinco mil litros de leite por dia. Um dos proprietários Alessandro Gonzaga Pedrosa, conta que há dois anos implementou o sistema de biodigestores na fazenda e que a ideia surgiu da necessidade de dar um maior valor agregado para a produção. Em buscas na internet o produtor conheceu a tecnologia, e atualmente, a economia de energia é de 30% a 35%. "Antes nós juntávamos um monte de esterco e depois distribuía na fazenda e jogava na terra. Só que não tratava. Hoje não, a gente trata o adubo, faz o esterco de primeira linha e a gente distribui na fazenda e ainda tem a fertirrigação e a própria energia gerada que economizamos na fazenda", destaca Alessandro Pedrosa. "É uma tecnologia que recomendamos para ser colocada nas propriedades rurais", concluí o proprietário.

Fonte: Embrapa Agroenergia
Foto: Divulgação


 

comments powered by Disqus
 
INSTAGRAM
Rua Pinho Pessoa, 755, Fortaleza/CE
CEP 60.135-170
Central de Relacionamento
AgroValor (85) 3270.7650
Copyright © 2006-2014
WSete Design