AgroValor Publicidade
AgroValor

A Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (Andav) alerta os agricultures pecuaristas sobre o aumento de casos de roubo de insumos agropecuários. As quadrilhas especializadas agem nas propriedades rurais e revendas em todo o país e são impulsionadas pela alta do dólar, que encareceram os produtos. 

Entre janeiro e outubro deste ano, a Andav registrou ocorrências no Paraná, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso, São Paulo, Ceará, Tocantins, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. Entre os associados, foram contabilizadas 15.200 embalagens roubadas, o que significa menos 16 milhões de hectares tratados, aumento dos riscos no transporte e ambientais, e maior preocupação com a segurança alimentar.

Mas é o perfil dos assaltos o que preocupa bastante: em média, cada assalto resulta em um prejuízo de 793 mil reais para o distribuidor. Os casos já influenciaram o dia a dia dos produtores, que agora estão estocando menos produtos, principalmente defensivos. Eles têm preferido deixar os produtos com os revendedores. “É uma situação que tem vários desdobramentos para o distribuidor. Primeiro porque se torna alvo das quadrilhas especializadas e depois pelo custo de incluir segurança diária em seus negócios, encarecendo-o. Por fim, há muita dificuldade de trabalhar com estoques altos e de conseguir um seguro viável que preconize esse atual perfil do distribuidor de insumos agropecuários”, analisa Mazotini.

Reivindicações
Na última terça-feira (25/10), diretores da Andav estiveram em Brasília em reunião com os deputados federais Jerônimo Goergen, autor do Projeto de Lei 2079/2015, que incluiu no rol dos crimes hediondos o roubo, furto, receptação e contrabando de agroquímico; e Alceu Moreira, relator do mesmo Projeto.

“A proposta se encontra na última etapa legislativa na Câmara dos Deputados, pronta para votação, prevista para os próximos dias, na CCJ - Comissão de Constituição e Justiça, onde tem parecer favorável para aprovação. Se aprovada, segue para o Senado. Embora as polícias estejam atuando, os números de ocorrências nas revendas não param de crescer por todo o país”, explica Henrique Mazotini, presidente executivo da Andav.

Após esse encontro, a comitiva do órgão, composta por 12 representantes dos Estados de Pernambuco, Minas Gerais, Santa Catarina, Goiás, São Paulo, Paraná e Distrito Federal, se reuniu com o Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e com o Secretário de Política Agrícola, Neri Geller, que estão empenhados em agilizar a aprovação do projeto. “O encontro foi para discutir as preocupações da Associação quanto ao roubo de agroquímicos, do seguro rural e das linhas de crédito rural especiais para o sistema da distribuição para favorecer o agricultor. Não podemos mais esperar porque o revendedor e o produtor estão sofrendo muitos assaltos no campo e isso é generalizado, em praticamente todos os estados”, aponta Mazotini.

Em agosto, a entidade formalizou um manifesto do setor direcionado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e autoridades estaduais, a fim de combater os crimes. Na lista de reivindicações estão a intensificação do combate ao crime organizado, a necessidade da criação e divulgação de uma lista de empresas e empresários receptadores de cargas roubadas para que estes não tenham acesso a crédito rural, além do cumprimento efetivo de todas as medidas legais já previstas em lei.

Fonte: Globo Rural
Foto/legenda: Cada assalto resulta em um prejuízo médio de 793 mil reais para o distribuidor (Thinkstock)

comments powered by Disqus
 
INSTAGRAM
Rua Pinho Pessoa, 755, Fortaleza/CE
CEP 60.135-170
Central de Relacionamento
AgroValor (85) 3270.7650
Copyright © 2006-2014
WSete Design