AgroValor Publicidade
AgroValor

Cerca de duas mil famílias de comunidades rurais de 34 municípios do Piauí e parte do Ceará, todos afetados pelas estiagens prolongadas, estão melhor equipadas para praticar suas atividades produtivas, além de melhorar as condições de produção e transporte de produtos agrícolas. Investimentos da ordem de R$ 8,5 milhões da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) permitiram a estruturação dos agricultores familiares com tratores, implementos agrícolas e outros veículos próprios para o uso em lavouras.

São 52 equipamentos hoje disponíveis para cerca de 800 produtores de diversas comunidades rurais e associações. Entre eles, caminhões-pipa e basculantes, motoniveladoras, patrulhas agrícolas (trator e implementos básicos), tratores de esteiras e pás carregadeiras sobre rodas, além de caminhões compactadores de lixo. Os recursos destinados à ação são oriundos do Orçamento Geral da União destinados à Codevasf por emendas parlamentares com vistas ao desenvolvimento regional, além de recursos próprios da Companhia.

“A Codevasf, como empresa de desenvolvimento - principalmente social e econômico -, busca, com o fornecimento de máquinas e equipamentos, a potencialização dos trabalhos, sejam eles produtivos, estruturantes ou conservacionistas”, explica Mário Augusto Guimarães, chefe da Unidade Regional de Empreendimentos Socioambientais da Codevasf no Piauí.

Segundo ele, com o auxílio desses instrumentos é possível uma aceleração no crescimento e desenvolvimento das famílias e comunidades atendidas, com o preparo de áreas para plantio, recuperação de estradas de acesso para escoamento de produção e circulação de insumos, coleta de resíduos sólidos, entre outros benefícios.

Uma das entidades beneficiadas foi a Associação de Moradores do Boi Laranjo, localizada na zona rural do município piauiense de Francisco Ayres, no Centro-Norte do estado, na região do Médio Parnaíba. Desde o ano passado, a entidade passou a contar com um trator com arado e um caminhão médio, com capacidade para quatro toneladas, que ajudam no preparo da terra e no transporte de produtos, respectivamente.

“O trabalho ficou mais fácil. Estamos muito satisfeitos”, garante Luiz Rodrigues Barreto, presidente da associação composta atualmente por 43 produtores familiares que cultivam arroz, milho, mandioca e feijão.

Do total de municípios beneficiados, 28 municípios do Piauí e dois do Ceará foram atendidos com trinta patrulhas agrícolas (trator e implementos básicos), cujos investimentos totalizaram cerca R$ 4,7 milhões. O uso destes equipamentos pelos agricultores permite a realização de uma série de serviços como subsolagem, gradagem, aração, plantio e ensilagem. Aumenta-se assim, a produtividade com uma produção maior e mais rápida de alimentos. Com isto, os agricultores conseguem maiores rendas, o que permite reinvestir na produção e melhorar a qualidade de vida no campo.

Os municípios piauienses atendidos são Agricolândia, Altos, Bela Vista do Piauí, Betânia do Piauí, Cabeceiras do Piauí, Campo Alegre de Fidalgo, Capitão de Campos, Capitão Gervásio de Oliveira, Caridade do Piauí, Cocal, Coronel José Dias, Dom Inocêncio, Esperantina, Francisco Ayres, Inhuma, Itaueira, Jacobina do Piauí, Jerumenha, Jurema, Luis Correia, Massapê, Massapê do Piauí, Oeiras, Pau Darco, Paulistana, Santa Rosa do Piauí, Santana do Piauí, Santo Inácio do Piauí, São João do Piauí, São Miguel do Tapuio, Simões, Simplício Mendes, Várzea Branca e Wall Ferraz. No Ceará, foram beneficiados os municípios de Crateús e Novo Oriente.

Monitor de Secas da ANA
De acordo com o balanço mais recente do Monitor de Secas da Agência Nacional de Águas (ANA), houve no Piauí uma expansão da seca extrema para a região oeste do estado e o surgimento de seca excepcional na área de divisa com Pernambuco. Os impactos permanecem de curto e de longo prazo, sendo a escala da intensidade variando de seca moderada a seca extrema.

Já no Ceará, segundo informa o sistema, a seca que antes tinha uma escala de severidade variando de fraca a extrema teve em julho uma piora, ficando com uma variação de moderada a excepcional e permanecendo com impactos de curto e de longo prazo. Verificou-se no Ceará, segundo o monitor, uma expansão das áreas de seca grave e de seca extrema, destacando-se o surgimento de áreas de seca excepcional no sul do estado.

Foto: Divulgação

 

comments powered by Disqus
 
INSTAGRAM
Rua Pinho Pessoa, 755, Fortaleza/CE
CEP 60.135-170
Central de Relacionamento
AgroValor (85) 3270.7650
Copyright © 2006-2014
WSete Design