AgroValor Publicidade
AgroValor

Missão Empresarial à Índia alcançou o seu propósito: mostrar o produto brasileiro a um mercado em nítida expansão, ávido por couros e peles de qualidade. A ideia é que, após este primeiro contato, os países passem, efetivamente, a negociar. A missão é uma das ações previstas no Brazilian Leather, projeto de promoção comercial desenvolvido pelo Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

José Fernando Bello, presidente executivo do CICB, acredita que, a partir da ação, as empresas puderam perceber o potencial de compra da Índia. “O mercado indiano é bastante promissor e deve ser explorado. Penso que, com a missão, os empresários assimilaram isso”, diz. “A grande aposta do setor coureiro neste ano de 2015 é a diversificação de mercados. A Índia vem justamente ao encontro desta meta. Cremos, portanto, que uma relação entre os dois países possa gerar bons resultados”, afirma.

O diretor de exportações do Curtume Cubatão Ltda, Ismael Naves, é um dos que compreenderam a dimensão mercadológica da Índia. Ele se descreve como ‘muito satisfeito’ com a visita. “A missão superou nossas expectativas. Nossa perspectiva de negócios é excelente. Esperamos, em futuro bem próximo, embarcar para a Índia em torno de US$ 700 mil a US$ 1 milhão por mês”, empolga-se.

Expectativa semelhante tem Helena Kessler, diretora da Hop Ying Leatherex Exp. Rep. Ltda. Somando as possibilidades de negócios geradas na feira IILF e nas rodadas com potenciais compradores, a companhia espera atingir US$ 1 milhão em exportações para aquele país. “Vale lembrar, no entanto, que pela feira especificamente, circularam compradores de outras nações. Assim, também prospectamos negócios com China e Vietnã”, conta.

Júlio Zanotto, gerente de exportações da Coming Ind. e Com. de Couros Ltda, igualmente admite ter feito bons contatos com profissionais de outros países que não só da Índia. Dentre os destaques, ele revela negociações com representantes de Dubai e dos Emirados Árabes. “A missão definitivamente proporcionou abertura de novos clientes”, expõe.

Para Valmir Grassi da Silva, da JBS Couros, a Missão Empresarial à Índia surgiu em um momento ideal. “O mercado indiano está em amplo crescimento e precisa de suporte para abastecimento de couro”, conclui.

(FONTE: Sabrina Auler - Comunicação / Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil_CICB)

Foto: Divulgação

comments powered by Disqus
 
INSTAGRAM
Rua Pinho Pessoa, 755, Fortaleza/CE
CEP 60.135-170
Central de Relacionamento
AgroValor (85) 3270.7650
Copyright © 2006-2014
WSete Design