AgroValor Publicidade
Haras de valor

por Wescley Gomes

O mercado de equinos no Brasil vem apresentando um volume de crescimento bastante satisfatório para criadores e donos de haras, relacionado, principalmente, à paixão pelos cavalos e pelos esportes praticados com auxílio desses animais.

Porém, o sucesso na compra de um cavalo que se ajuste ao perfil desejado nem sempre é alcançado, especialmente para quem não tem muito conhecimento sobre o assunto. A primeira coisa que o comprador deve atentar é quanto à finalidade do animal. Seria para competições, para iniciar um criatório ou simplesmente para o lazer: passeios e cavalgadas?

Antes de adquirir um cavalo Mangalarga Marchador, por exemplo, considerada uma das raças mais queridas e desejadas no Brasil – e também uma das mais caras –, deve-se observar questões importantes, como temperamento, porte, saúde clínica e reprodutiva.

Para o criador e proprietário do Haras Três Corações, em Ponte Nova (MG), Ronaldo Tavares, a compra de um cavalo não deve ser um ato impulsivo, mas sim uma escolha racional, feita cuidadosamente. “É necessário muita cautela na hora de adquirir um Mangalarga. Não se pode considerar apenas a beleza do animal, mas o conjunto completo. Muitas pessoas compram cavalos com mais de dezoito anos, com problemas crônicos de articulação, não podendo mais serem usados sequer para passeios mais longos”, alerta Tavares.

Portanto, algumas orientações devem ser seguidas por parte do comprador na hora de adquirir o seu MM, além de procurar ajuda de especialistas que conheçam a fundo a raça e que inspirem confiança na hora de se fazer o negócio.

Segundo Tavares, para obter sucesso nesse investimento, o comprador deve atentar aos seguintes critérios: “A primeira questão é onde adquirir o cavalo. Os haras são locais seguros, de preferência os com boa reputação. Os clubes de hipismo também podem ser uma boa opção. Decidido o local, é hora de avaliar a parte física do animal. Começando pela cabeça, o olhar deve ser alegre, que não expresse sofrimento ou cansaço, e sim olhos vivos. Em seguida, analise os joelhos para saber se ele possui alguma  deficiência, pois às vezes joelhos pelados indicam que o animal tropeça. Outro ponto importante são os cascos, verifique se são rugosos ou rachados, sinal de sofrimento de enfermidades anteriores. É importante também a avaliação do comportamento do animal, para saber se é dócil ou agressivo. Essas dicas com certeza ajudarão na escolha bem feita do animal”, revelou Tavares.

Vale lembrar também que, antes de qualquer coisa, o cavalo é um ser vivo que necessitará de cuidados com a alimentação, além de espaço, carinho, exercícios frequentes etc., que demandam dois itens fundamentais:
tempo e dinheiro.

Foto: Divulgação

comments powered by Disqus
 
INSTAGRAM
Rua Pinho Pessoa, 755, Fortaleza/CE
CEP 60.135-170
Central de Relacionamento
AgroValor (85) 3270.7650
Copyright © 2006-2014
WSete Design